sexta-feira, 14 de junho de 2019


PROGRAMAÇÃO CASA RANZINI

JORNADA DO PATRIMÔNIO 2019
Palestras, Exposição de Arte, Visita Guiada e Oficinas


Sábado 17 de agosto
10h ás 11h  -  Palestra: Monumentos e obras de arte em locais públicos da Cidade de São Paulo.
Identificação de diversas obras de arte públicas presentes na cidade de São Paulo com suas histórias, seus autores e algumas curiosidades.

Palestrante: Lina Bandiera - Biomédica, mestre em imunologia e microbiologia (UNIFESP), instrumentadora cirúrgica, formou-se em fotografia pela Escola Panamericana de Arte (2009). Recebeu o Prêmio Nacional de Fotografia Talentos da Maturidade (2011). Curso livre de História da Arte com Prof. Dr. Percival Tirapeli (2006-2014). É Coordenadora do Grupo de História da Arte do Clube Paulistano e assessora de seu departamento Cultural desde 2019. Diretora Cultural da SOCIARTE - Sociedade dos Amigos da Arte de São Paulo (desde 2017).

11h - Abertura da Exposição de Telas de Percival Tirapeli
São Paulo, monumentos e memória do patrimônio. Acrílico sobre tela.  Percival Tirapeli, artista plástico e professor titular em artes visuais na UNESP/SP
10h as 13h
Oficina:  Bordado e Memória na Casa Florentina

O @coletivo.entrenos (Instagram) soma o nosso amor por patrimônio e bordado às características da Casa. A atividade prevê realização de bordados a partir de desenhos feitos sobre a fachada da Casa.

Responsável -  Thais Souza, arquiteta urbanista, Doutora pela FAUUSP (Habitat)/ docente do IFSP

14h ás 15h - Benedito Calixto e a Capela do Santíssimo da Igreja da Consolação
Em 1918, Benedito Calixto pinta um conjunto de seis telas para a Capela do Santíssimo da Igreja da Consolação. Partindo de uma encomenda do arcebispo Dom Duarte Leopoldo e Silva, as seis telas trazem duas cenas de Cristo pós-ressurreição, "A Caminho de Emaús" e "Ceia em Emaús" Além das duas, a Capela ainda traz duas pinturas representando dois doutores da Igreja, "São Boaventura" e "São Tomás". Na parede do altar da referida Capela e ladeando o sacrário, encontram-se "São Tarcísio" e "Santa Clara". A palestra visa analisar o conjunto e contextualizá-lo dentro do panorama da cidade de São Paulo, na virada do século XX.

Profa. Dra. Karin Philippov. Pós-Doutora em História da Arte pela - EFLCH-UNIFESP (2019). Mestre (2008) e Doutora em História da Arte (2016) pelo IFCH-UNICAMP. Professora de História da Arte com pesquisa sobre arte religiosa, Benedito Calixto, História de São Paulo, arte do século XIX, entre outros temas.


13h às 16h - Oficina:  Sob as cores das Aquarelas de Thomas Ender
A oficina propõe-se a analisar as produções artísticas - aquarelas de Thomas Ender -   sob a luz do formalismo acadêmico dando destaque para os aspectos da pintura de paisagem. Produzir aquarelas a partir da referência estética das obras do artista viajante Thomas Ender, quando da sua estada na cidade de São Paulo.
Proponentes: Laura Carneiro Pereira Tirapeli, jornalista e radialista, assessora de comunicação e cultura da Casa Ranzini.
Dalmo de Oliveira Souza e Silva –Doutorado em Artes Visuais / ECA- USP/                       Pós- doutorado – Estagio / UNESP- Prof. Titular – UMESP / SP
Luciana Ester Schiel – Pós –graduada em Psicopedagogia e Arteterapia/                                       Professora da rede Municipal de Ensino de São Paulo.


Domingo dia 18 de agosto
INAUGURAÇÃO MEMORIAL FELISBERTO RANZINI

Oficinas
10h às 13h Oficina: Sob as cores das Aquarelas de Thomas Ender
13h às 16h:  Bordado e Memória na Casa Ranzini

Palestras
12h30 às 13h30 – Palestra Arquitetura Italiana na cidade de São Paulo: memórias e afetos. Waldir Salvadore, pesquisador e historiador, mestre pela FFCLH, USP.

14h às 15h - Memórias da escultura religiosa na São Paulo do século XX,
No início do século XX, em São Paulo viu-se grande prosperidade econômica resultante da cafeicultura e do avanço da industrialização. Tal crescimento financiou transformações envolvendo desde o traçado urbano de algumas das cidades até os ambientes religiosos, onde parte do patrimônio colonial foi substituída por novas peças. Esta palestra trata a respeito dessas mudanças no campo das imagens religiosas em templos paulistas e como a reformulação do “gosto”, afetou a imaginária de culto no século XX em São Paulo
Profa. Dra. Maria José Spiteri Tavolaro Passos, Universidade Cruzeiro do Sul/SP, Doutora e Mestre em Artes Visuais pela UNESP (SP), é formada em  Educação Artística e Artes Plásticas. Atua nas áreas de História da Arte e Arte-educação, é docente na Universidade Cruzeiro do Sul (SP). Pesquisadora e membro do Centro de Estudos da Imaginária Brasileira (UFMG) e do grupo Barroco Memória Viva (UNESP), é autora de diversos textos em livros como “Patrimônio Sacro na América Latina: Arquitetura, Arte e Cultura”, “Antônio Lizárraga: quadrados em quadrados”, “Arte Sacra Colonial”.

15h às 16h - Problemáticas e alternativas para espaços museológicos abertos na São Paulo do século XXI
Com o passar do tempo alguns espaços tradicionalmente utilizados para funções diferenciadas das museológicas passaram a conter verdadeiras coleções de obras escultóricas originalmente concebidas para funções não necessariamente artísticas. Entre estes destacam-se alguns espaços cemiteriais existentes desde a segunda metade do século XIX. Os conjuntos escultóricos distribuídos pelos mausoléus com finalidades memoriais e honoríficas se tornariam, devido à excelência da concepção e execução por destacados artistas, em obras de extrema raridade. Na presente palestra se analisará problemáticas diversas como a da estilística, inventário e catalogação e a conservação-restauração em obras presentes nos cemitérios da Consolação e do Araçá, em São Paulo.

Mozart Alberto Bonazzi da Costa - Doutor em Arquitetura e Urbanismo pela FAU-USP, é Mestre em Artes pelo Instituto de Artes da UNESP - SP, graduado em Educação Artística e Artes Plásticas pela Fundação Armando Álvares Penteado - FAAP. É docente do curso Arte: História, Crítica e Curadoria, da PUC -SP, onde coordenou o curso de Conservação e Restauro, e do Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Cidade de São Paulo (UNICID). Integra o grupo de pesquisa Barroco Memória Viva certificado pelo IA-UNESP/CNPq. Coordena o grupo de estudos Arte e Arquitetura Cemiteriais: Teoria, História e Conservação. Desenvolve cursos e projetos educativos e curatoriais dirigidos a espaços museológicos e culturais. Pesquisador de processos escultóricos tradicionais e contemporâneos, vem se dedicando ao estudo e divulgação da talha ornamental barroca e rococó no Brasil.

15h às 16h Visita guiada à Casa Ranzini, aspectos históricos, artísticos e arquitetônicos, com Waldir Salvadore

Exposição
10h às 16h – Exposição: São Paulo, memórias do patrimônio. Acrílicio sobre tela.  Percival Tirapeli, artista plástico e professor titular em artes visuais na UNESP/SP

”.


segunda-feira, 6 de maio de 2019

Sábado 25  de maio, 10h às 13h.

A obra religiosa de Portinari
com Percival Tirapeli

A obra com temas religiosos de Portinari aponta para quatro projetos distintos:  a Capela da Nonna,  a Série Bíblica, a capela de São Francisco na Pampulha e por fim as obras de Batatais e Brodowski, realizadas entre 1941 e 1963. Estes projetos estão interligados com outros, de painéis oficiais nacionais e internacionais, sem que isso minimize a arte sacra ante suas obras de cunho histórico, social e retratista. 
Imagens de obras de Candido Portinari:  São Francisco de Assis (detalhe). Mural a têmpera, 1945. Igreja da Pampulha, Belo Horizonte, MG. Fuga para o Egito. Pintura a afresco, 1934. Museu Casa Portinari, Brodowski, SP.  São Sebastião (detalhe). Óleo s/tela, 1953. Matriz de Batatais, SP.

Afinal, este gênero foi o que lhe concedeu a possibilidade de premiação com a viagem de estudo ao exterior. Os elos evidentes com o aspecto religioso são sua origem familiar religiosa de imigrantes e a reverencia à arte italiana, em especial a dos afrescos renascentistas. A Série Bíblica é fruto do contato com a arte maior expressionista, de protesto e violência pictórica emanada do contato direto do artista com Guernica, vista no MoMA de Nova Iorque. A da Pampulha, engajado com a renovação arquitetônica moderna brasileira, projeto de Oscar Niemeyer, a utilizar novamente nas superfícies externas a azulejaria e a pintura mural interna, como ocorrera no prédio do Ministério da Educação e Saúde, só que agora em ambiente religioso. E, por fim, em ambiente eclesiástico, na igreja matriz de Batatais, com obras da vida de Cristo e santos em espaços reservados de capelas, e a via-crucis nas faces da nave. Algumas destas figura sacras sem dúvida dialogam com sua obra máxima, Paz e Guerra, exposta no hall principal do edifício da ONU em Nova Iorque.


segunda-feira, 29 de abril de 2019

A Arte Sacra de Portinari
Sábado, 25 de maio, das 10h às 13h

Conheça da capela da Nonna, na casa onde nasceu o artista, em Brodowski, a Igreja de São Francisco, na Pampulha, o modernismo em Belo Horizonte!

25 vagas 
R$50,00 (contribuição para manutenção do imóvel, tombado)
Inscrições em casaranzini@gmail.com

quinta-feira, 11 de abril de 2019

Palestra  Sábado 27 de abril
das 10h às 13h

A Obra pública de Candido Portinari 
- afrescos e painéis
com Percival Tirapeli

Inscrições abertas em casaranzini@gmail.com
Vagas: 20
Investimento: R$50,00 (cinquenta reais) com certificado de participação
Candido Portinari pintando "Guerra" e "Paz", em 1955 (Foto: Renata Frank/Acervo Projeto Portinari)o

quarta-feira, 28 de novembro de 2018

Curta as fotos da Jornada no Patrimônio 2018 no Acervo Digital da UNESP!


Descubra tesouros da arte e da arquitetura, baixe as imagens, use as aulas em power point!

Acesse
https://acervodigital.unesp.br/handle/unesp/381317

terça-feira, 14 de agosto de 2018